Who is He?

romancenturion

Ernest Borgnine played the Roman Centurion in “Jesus of Nazareth.”

“When his family heard what was happening, they tried to take him away. ‘”He’s out of his mind,”‘ they said.”

“But the teachers of religious law said, “He’s possessed by Satan.”

“When the Roman officer who stood facing him saw how he had died, he exclaimed, ‘”This man truly was the Son of God!”‘

He was misunderstood and not recognized when He walked among us. It should be no surprise that people struggle today to come to terms with Him. When it got right down to it, it was the most unlikely of people that recognized who He really was. It was not the Religious Leaders that recognized Him. Even His own family and followers did not understand until later. How ironic that the one who put Him on the cross was the first to recognize His divinity!

As we move into the Easter week, may we recognize Jesus for who he really is. May we take his teaching to heart and let the Holy Spirit mold us into his image. And may we never take his sacrifice for granted!

Would you help us as we continue to share the Gospel in Brazil? We are training leaders and helping plant churches throughout the country. Just click here to get involved. Obrigado!

Quem é ele?

romancenturion

Ernest Borgnine played the Roman Centurion in “Jesus of Nazareth.”

“Quando sua família ouviu o que estava acontecendo, eles tentaram levá-lo embora. “” Ele está fora de si “, disseram eles.”

“Mas os mestres da lei, disse:” Ele está possuído por Satanás “.

“Quando o oficial romano que estava de frente para ele viu como ele havia morrido, ele exclamou:” Este homem era realmente o Filho de Deus! ‘”

Ele foi mal interpretado e não reconhecido quando andou entre nós. Não deve ser nenhuma surpresa que as pessoas lutam hoje para chegar a um acordo com ele. Quando chegou até a ele, que era o mais improvável de pessoas que reconheceram que Ele realmente era. Não era os líderes religiosos que o reconheceu. Até mesmo sua própria família e seguidores não entendi até mais tarde. É irônico que a pessoa que colocá-lo na cruz foi o primeiro a reconhecer a Sua divindade!

À medida que avançamos para a semana da Páscoa, que possamos reconhecer Jesus como ele realmente é. Que possamos aproveitar seus ensinamentos para o coração e deixar que o Espírito Santo moldar-nos para a sua imagem. E que possamos nunca tomar o seu sacrifício para concedido!

Você pode nos ajudar, enquanto continuamos a compartilhar o Evangelho no Brasil? Estamos treinando líderes e ajudando plantar igrejas em todo o país. Basta clicar aqui para se envolver. Obrigado!

Caminhamos para o deserto

girlinwildernessCA690ED0B2

“Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto, onde foi tentado por Satanás durante quarenta dias.”
Lucas 4: 1-13

Em algum momento de nossas vidas, vamos nos encontrar em algum tipo de deserto. Jesus foi conduzido pelo Espírito Santo ao deserto, para ser tentado. Muitas vezes me pergunto se Jesus realmente sabia que esse período de tentação estava por vir. Eu acho que ele tinha a intenção de usar esse tempo no deserto para o jejum, oração e reflexão antes de começar o seu ministério público. Deus queria usar o tempo para se concentrar em algumas questões-chave do caráter de Jesus.

Moisés tentou fazer a coisa certa da maneira errada e acabou fugindo para salvar sua vida. Ele passou os próximos quarenta anos no deserto como um humilde pastor. Em um flash, Moisés deixou de ser um príncipe no Egito para um fugitivo, escondendo-se em um país estrangeiro. Ao longo destes longos anos, sua vida foi desconstruída e reconstruída por Deus.

David estava no deserto que está sendo perseguido por um bando de pessoas que queriam matá-lo. Ele escreveu vários dos Salmos durante este período e eles dão-nos uma janela para sua alma. “Deus, onde estás? Por que você está permitindo que essas pessoas para me atacar? Eu pensei que você prometeu que eu estava indo para ser o próximo rei? Você está me ouvindo? “

Quando nos encontramos no deserto, nos sentimos distantes ou mesmo desconectado de Deus. Muitas vezes há uma sensação de que ele está em outro lugar no universo, porque Ele não é comigo! Nada poderia estar mais longe da verdade. Deus prometeu nunca nos deixar ou nos abandonar. Na realidade, Deus está fazendo um trabalho mais profundo em nossa vida, como nós atravessamos o deserto.

É fácil ter fé quando tudo está indo bem. Mas o que dizer quando parece que Deus nos deixou? Isto é, quando a nossa fé é realmente desenvolvido e tornado mais forte. Quando uma pessoa continua se movendo em direção a Deus e confiar nele, mesmo no deserto, eles vão encontrar os seus músculos da fé cada vez maior. Mas ainda mais importanly, eles vão experimentar uma relação muito mais profunda e mais rica com seu Pai Celestial.

Como você lida com os momentos em que você se encontra em um deserto?

Annie e eu estamos servindo ao Senhor no Brasil. Estamos treinando líderes e ajudando plantar igrejas em todo o Brasil. Você pode nos ajudar como ajudamos os outros? Basta clicar aqui para se envolver. Obrigado!

Journey into the Wilderness

girlinwildernessCA690ED0B2

“Jesus was led by the Spirit into the wilderness, where he was tempted by Satan for forty days.”
Luke 4:1-13

At some point in our lives we are going to find ourselves in some type of wilderness. Jesus was led by the Holy Spirit into the wilderness to be tempted. I have often wondered if Jesus really knew this period of temptation was coming. I think he had intended to use this time in the wilderness for fasting, prayer, and reflection before he started his public ministry. God wanted to use the time to focus on some key issues of Jesus’ character.

Moses tried to do the right thing in the wrong way and ended up fleeing for his life. He spent the next forty years in the wilderness as a lowly shepherd. In a flash, Moses had gone from being a prince in Egypt to a fugitive, hiding in a foreign country. Over these long years, his life was deconstructed and rebuilt by God.

David was in the wilderness being chased by a bunch of people who wanted to kill him. He wrote several of the Psalms during this period and they give us a window into his soul. “God where are you? Why are you allowing these people to attack me? I thought that you promised that I was going to be the next king? Are you even listening to me?”

When we find ourselves in the wilderness, we feel distant or even disconnected from God. There is often a sense that He is somewhere else in the universe because He is not with me! Nothing could be further from the truth. God has promised never to leave us or forsake us. In reality, God is doing a deeper work in our life as we go through the wilderness.

It is easy to have faith when everything is going well. But what about when it seems like God has left us? This is when our faith is really developed and made stronger. When a person keeps moving towards God and trusting Him, even in the wilderness, they will find their faith muscles getting bigger. But even more importanly, they will experience a much deeper and richer relationship with their Heavenly Father.

How you handle those times when you find yourself in a wilderness?

Annie and I are serving the Lord in Brazil. We are training leaders and helping plant churches throughout Brazil. Would you help us as we help others? Just click here to get involved. Obrigado!

Podcast- Dicas para fazer uma grande mudança de vida

Roadintohillsphoto-1416862291207-4ca732144d83

Bem-vindo ao primeiro episódio do meu novo podcast. Eu estarei postando um novo podcast toda quarta-feira. Clique aqui para dar-lhe uma escuta e deixe-me saber o que você pensa.

Não se esqueça de se juntar à nossa equipe de suporte, se você quer ser envolvido no que estamos fazendo no Brasil. Basta clicar aqui para se envolver. Obrigado!

Podcast- Tips for Making a Major Life Change

Roadintohillsphoto-1416862291207-4ca732144d83

Welcome to the first episode of my new podcast. I will be posting a new podcast every Wednesday. Click here to give it a listen and let me know what you think.

Don’t forget to join our support team if you want to be involved in what we are doing in Brazil. Just click here to get involved. Obrigado!

Quão saudável é o seu time?

circusperformersFreestyle_team_Habighorst

Uma vez que Deus escolheu você para ser o povo santo a quem ele ama, você deve vestir-se com misericórdia compassivos, bondade, humildade, mansidão e paciência. Você deve fazer a permissão para faltas do outro e perdoar a pessoa que você ofende. Lembre-se, o Senhor vos perdoou, assim você deve perdoar os outros. E a mais importante peça de roupa que você deve usar é o amor. O amor é o que nos liga a todos em perfeita harmonia. (Colossenses 3: 12-14)

Não é nenhum segredo que a saúde de nossa equipe de liderança é o que irá determinar a saúde da nossa organização. Uma equipe insalubre acabará por afectar toda a igreja, empresa ou organização. Quais são algumas das coisas que podemos fazer para manter nossa equipe saudável?

1. Apoie seus líderes.

Isso soa tão básico, mas quantas vezes você ouve as pessoas criticando e repreendendo aqueles que estão sobre nós? Devemos sempre falar bem de nossos líderes em público. Se criticamos e fofocas, estamos dando a todos os outros permissão para fazer a mesma coisa. Se temos divergências, elas devem ser tratadas a portas fechadas, não em público.

Outra forma que possamos apoiar nossos líderes é dar-lhes feedback positivo. Só porque eles são o chefe não significa que eles não precisam de encorajamento. O incentivo é o oxigênio para a alma e aqueles com mais de nós precisa dele como todo mundo.

Outro aspecto de apoiar nossos líderes é que precisamos dar-lhes graça. Como a passagem acima diz: “Você deve fazer a permissão para faltas uns dos outros …” Todo mundo tem um dia ruim, até mesmo o chefe. Vamos estender a mesma graça para eles que nós gostaríamos de ter estendido a nós.

2. Apoiar os seus colegas de equipa membros.

Como uma equipe, temos de olhar para o outro. Isso não significa que temos de ser todos melhores amigos. Claro, ajuda se somos amigos e realmente gostam um do outro. Dinâmica da equipe, porém, muitas vezes pode criar tensão nas relações na equipe.

Uma das maneiras que nós apoiar a nossa equipa-membros é falando bem deles em público. É fácil criticar alguém que não gostamos ou concordamos. Por ter uma configuração padrão de sempre falando positivamente os nossos colegas de trabalho, estamos apresentando uma frente unificada para o resto da organização.

Incentivar nossos companheiros de equipa membros é uma outra maneira que nós podemos apoiá-los. Pode ser difícil, por vezes, para incentivar a realização de um colega de trabalho, especialmente se nós sentimos que estamos em concorrência com eles. Incentivo, no entanto, nos ajuda a criar uma atmosfera positiva em nossa equipe. Todo mundo quer trabalhar neste tipo de atmosfera. Se conseguirmos criar uma cultura de celebrar os sucessos do outro, nós estamos indo um longo caminho para a criação de uma equipe saudável.

Outra forma que vamos mostrar apoio aos nossos colegas de trabalho é, dando-lhes a graça. Como dissemos acima, todo mundo tem um dia ruim. Se pudermos aprender a estender a graça que nós gostaríamos de receber quando estamos tendo um dia ruim, as coisas vão muito mais suave.

3. Lembre-se de nossa missão.

Por que estamos aqui? Nossa missão deve definir tudo o que fazemos como uma equipe. Todos na equipe deve ser claro sobre a visão do líder e onde a organização está indo. É bom rever a visão de tempos a tempos para manter todos focados no que estamos deveria estar fazendo.

Que outras coisas que você adicionar à lista para manter sua equipe saudável?

Annie e eu estamos servindo ao Senhor no Brasil. Estamos treinando líderes e ajudando plantar igrejas em todo o Brasil. Você pode nos ajudar como ajudamos os outros? Basta clicar aqui para se envolver. Obrigado!

How Healthy is Your Team?

circusperformersFreestyle_team_Habighorst

Since God chose you to be the holy people whom he loves, you must clothe yourselves with tenderhearted mercy, kindness, humility, gentleness, and patience. You must make allowance for each other’s faults and forgive the person who offends you. Remember, the Lord forgave you, so you must forgive others. And the most important piece of clothing you must wear is love. Love is what binds us all together in perfect harmony. (Colossians 3:12-14)

It is no secret that the health of our leadership team is what will ultimately determine the health of our organization. An unhealthy team will eventually affect the entire church, company, or organization. What are some of the things that we can do to keep our team healthy?

1. Support your leaders.

This sounds so basic, yet how often do you hear people criticizing and berating those who are over us? We should always speak well of our leaders in public. If we criticize and gossip, we are giving everyone else permission to do the same thing. If we have disagreements, they should be handled behind closed doors, not in public.

Another way that we can support our leaders is to give them positive feedback. Just because they are the boss does not mean that they do not need encouragement. Encouragement is oxygen for the soul and those over us need it like everyone else.

Another aspect of supporting our leaders is that we need to give them grace. As the passage above says, “You must make allowance for each other’s faults…” Everyone has an bad day, even the boss. Let’s extend the same grace to them that we would like to have extended to us.

2. Support your fellow team-members.

As a team we have to look out for each other. This does not mean that we have to all be best friends. Of course, it helps if we are friends and actually like each other. Team dynamics, though, often can create tension in the relationships on the team.

One of the ways that we support our team-members is by speaking well of them in public. It is easy to criticize someone that we don’t like or agree with. By having a default setting of always speaking positively of our co-workers, we are presenting a unified front to the rest of the organization.

Encouraging our fellow team-members is another way that we can support them. It can be difficult sometimes to encourage a co-worker’s accomplishment, especially if we feel that we are in competition with them. Encouragement, however, helps us to create a positive atmosphere on our team. Everyone wants to work in this kind of atmosphere. If we can create a culture of celebrating each other’s successes, we are going a long way to creating a healthy team.

Another way that we show support for our co-workers is by giving them grace. As we said above, everyone has a bad day. If we can learn how to extend the grace that we would like to receive when we are having a bad day, things will go much smoother.

3. Remember our mission.

Why are we there? Our mission should define everything that we do as a team. Everyone on the team should be clear on the leader’s vision and where the organization is going. It is good to revisit the vision from time-to-time to keep everyone focused on what we are supposed to be doing.

What other things would you add to the list for keeping your team healthy?

Annie and I are serving the Lord in Brazil. We are training leaders and helping plant churches throughout Brazil. Would you help us as we help others? Just click here to get involved. Obrigado!

Derrota de vitória ou a vitória da derrota?

The Battle of Shiloh by Henry Alexander Ogden

The Battle of Shiloh by Henry Alexander Ogden

Vários anos atrás, visitei o Battlefield Shiloh em Tennessee. É um belo parque nacional e um campo de batalha da Guerra Civil bem preservada. Esta batalha, naquele tempo, marcou o único dia mais sangrento e mais sangrentas dois dias em história americana. Foi importante por muitas razões, mas uma das principais chaves para esta batalha, dependia de liderança.

General Albert Sidney Johnston estava no comando geral das forças do sul. Ele era considerado um dos mais brilhantes e capazes de todos os generais do sul. Ele alcançou surpresa tática quase completa e total quando suas tropas atacaram as forças federais, comandados pelo general US Grant, em 6 de abril de 1862. As forças do Sul dominou a luta e empurrou as tropas da União de volta ao longo do dia. As forças da União foram empurrados para trás vários quilômetros para, onde até o final do dia, as costas estavam contra o Rio Tennessee.

Por volta de 2:00 da tarde, o general Johnston foi baleado e morreu pouco depois. Comando das forças do sul foi passada ao general Beauregard, um líder muito mais cauteloso. Durante todo o dia, as tropas sul pensando que vitória foi conquistada, pararam de lutar e teve tempo para saquear os campos federais que tiveram ao longo prazo. Disciplina quebrou e oficiais perderam o controle de seus homens. Em vez de o exército sul continuando a pressionar os federais batido e quebrado, eles lhes permitiu recuperar o fôlego.

À medida que o dia terminou, um dos generais subordinados do general Grant se aproximou dele. Este general tinha visto a derrota que seu exército sofreu naquele dia. Ele perguntou Grant, “General, devo começar a embarcar os homens dos barcos a vapor para retiro?”

Grant respondeu: “Retiro? Claro que não! Estou pensando em atacá-los na parte da manhã e derrotá-los! “Grant tinha visto a mesma derrota que seu subordinado tinha visto, mas ele viu a possibilidade de ainda obter a vitória desta aparente derrota. Na manhã do dia 7 de abril, Grant ordenou que suas forças contra-ataque das forças do sul. Os surpreendido confederados lutou muito, mas eles foram claramente perdendo essa luta. Ao final da tarde, o exército de Grant tinha empurrado o exército de Beauregard volta e recuperou a maior parte do terreno que foi perdido no dia anterior. Beauregard, vendo o inevitável, ordenou que as suas forças a recuar.

Quer seja no campo de batalha ou na sala de reuniões, simplesmente não há substituto para uma boa liderança. As pessoas estão olhando para ser levado. Vamos levá-los para derrotar ou para a vitória?

Se você gostaria de fazer parte da nossa equipe, enquanto estamos aqui no Brasil, aqui está o link. Obrigado! (Obrigado!)

Defeat from Victory or Victory from Defeat?

The Battle of Shiloh by Henry Alexander Ogden

The Battle of Shiloh by Henry Alexander Ogden

Several years ago, I toured the Shiloh Battlefield in Tennessee. It is a beautiful national park and a well preserved Civil War Battlefield. This battle, at the time, marked the bloodiest single day and the bloodiest two days in American History. It was important for many reasons, but one of the main keys to this battle, hinged on leadership.

General Albert Sidney Johnston was in overall command of the Southern forces. He was considered one of the brightest and most capable of all the Southern generals. He achieved almost complete and total tactical surprise when his troops attacked the Federal forces, commanded by General U. S. Grant, on April 6, 1862. The Southern forces dominated the fighting and pushed the Union troops back throughout the day. The Union forces were pushed back several miles to, where by the end of the day, their backs were up against the Tennessee River.

Around 2:00 in the afternoon, General Johnston was shot and died shortly thereafter. Command of the Southern forces was passed to General Beauregard, a much more cautious leader. Throughout the day, Southern troops thinking that victory was won, stopped fighting and took the time to loot the Federal camps that they had over run. Discipline broke down and officers lost control of their men. Instead of the Southern army continuing to press the beaten and broken Federals, they allowed them to catch their breath.

As the day ended, one of General Grant’s subordinate generals approached him. This general had seen the defeat that their army had suffered that day. He asked Grant, “General, should I start boarding the men on the steamships for retreat?”

Grant answered, “Retreat? Hell, no! I plan on attacking them in the morning and defeating them!” Grant had seen the same defeat that his subordinate had seen, yet he saw the possibility of still gaining victory from this apparent defeat. On the morning of April 7, Grant ordered his forces to counter-attack the Southern forces. The surprised Confederates fought hard but they were clearly losing this fight. By late in the afternoon, Grant’s army had pushed Beauregard’s army back and regained most of the ground that was lost the previous day. Beauregard, seeing the inevitable, ordered the his forces to retreat.

Whether it is on the battlefield or in the boardroom, there is just no substitute for good leadership. People are looking to be led. Are we going to lead them to defeat or to victory?

If you would like to be a part of our team while we are here in Brazil, here is the link. Obrigado! (Thank you!)